sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Desejo de Sangue - 4° parte

sobre o nome Cassandra. primeira vez que uso este nome, podem não acreditar mais sonhei com este nome hoje. espero que gostem desta parte do conto... a 5° parte já esta escrita na minha cabeça mais só posto amanha. sigam em paz. a e ontem a festa foi uma droga.
********************************************************************************
Quer saber... Dane-se _ Peter pensou. E então se atirou pela janela, era como se tivesse feito isso por séculos, suas pernas tocaram o chão e ele apenas sentiu uma leve pressão.
_ Até que fim heim? _ disse Aghata _ vamos correr? Tem um lugar aqui Lindo.
Aghata começou a correr, e Peter rapidamente a seguiu, a sensação era ótima, era como ser livre poder correr naquela velocidade era ótimo.
_ Aghata? _ chamou Peter.
_ O que foi? _ disse Aghata reduzindo um pouco a velocidade.
_ a onde vamos achar comida? Digo sangue. Como eu vou saber o que fazer?
_ relaxe Peter é algo natural. Na hora você saberá. Vamos estou sentindo o cheiro de um humano.
Peter seguiu Aghata até um bosque, se via alguns bancos
De carvalho, e outros de ferro, algumas lixeiras velhas, e alguns postes de iluminação quebrados logo atrás do bosque encontrava-se uma linda e grande floresta.
Seguiram andando de mãos dadas, como um casal de namorados comum, quando estavam no centro do bosque ouviram alguns gritos de mulher e alguns resmungos de algum homem. Aghata indicou a direção com seus ouvidos experientes e sensíveis, seguiram os dois silenciosamente até o local de onde se ouvira os gritos.
Uma mulher se debatia embaixo de um homem gordo e careca, que se preparava para estuprá-la, lagrimas corriam pela face da mulher que tinha a mão do estuprador tampando-lhe a boca, no rosto dele via-se um largo sorriso se formar cada vez que a pobre moça se debatia.
Aghata lançou o mesmo olhar que dirigira a Peter no cemitério ao homem que instantaneamente ficara imóvel.
_ eu salvo a moça, cuide dele. _disse Aghata.
Aghata correu até a moça e tirou-a debaixo do homem, ela não estava concentrada o bastante para manter o homem paralisado e agora ele já conseguia se mexer de novo quando se virou e viu Peter parado ele se levantou com um rápido movimento e dirigiu se a Peter pronto para extravasar toda fúria. Ergueu a mão e preparou-se para dar um murro em Peter que se esquivou.
_ você é tão sujo. Tentar forçar uma mulher. Nunca te ensinaram boas maneiras? _ disse Peter
_ cale a boca _ disse o homem dirigindo outro murro a Peter que dessa vez segurou punho do homem.
_ nunca mais você ira encostar um dedo sequer em uma mulher, nunca mais você verá uma mulher. Nunca mais ira respirar o doce aroma de uma mulher.
_ a é? E o que você vai fazer? Matar-me? Tente seu frangote.
_ seu desejo é uma ordem senhor inútil.
Peter rapidamente dirigiu-se para trás do homem e cravou-lhe os dentes no pescoço do estuprador, sugando-lhe o sangue. Um longo e alto grito escapou pela boca do homem que agora caia no chão. Peter saciado decidiu procurar Aghata e ver o que ela tinha feito com a mortal.
_ como você se chama? _ disse uma fina voz de mulher.
_ Aghata. E você?
_ Cassandra. Obrigado por me salvarem. Aquele homem ele... _ Cassandra não conseguiu terminar a frase, pois agora cairá no choro.
_ calma ele não vai mais te fazer mal, calma _ disse Aghata.
_ Aghata? _ chamou peter.

Um comentário:

vitor disse...

Nossa bem da hora o conto...uahua...muito bom

flws..esperando a proxima parte